NOVO REAL ESTATE

Desde o início da pandemia até meados de 2021 houve uma crescente demanda por imóveis em áreas rurais e cidades afastadas do ambiente urbano, mesmo estrangeiros, como chineses e europeus, voltam a investir no Brasil num setor conhecido como Negócios Imobiliários. Eles compreendem todos os empreendimentos voltados aos ativos de bens reais. Entre eles listamos patrimônios do tipo: hotéis, galpões, kitnets, coworkings, edifícios comerciais ou residenciais e imóveis de superluxo, mas esta é a ponta do iceberg. Quem atua na área trabalha com compra, venda, locação e permuta, além de questões legais como resolução de conflitos. Imobiliárias são os maiores intermediadores entre compradores e vendedores dentro dos negócios imobiliários, dados apontam que em 2019 atuavam no país 389,4 mil Corretores de Imóveis e 48,8 mil imobiliárias de forma ativa.



Contudo, o mais interessante sobre o assunto é exatamente a possibilidade de expansão do mercado, uma vez que qualquer sala ou edifício faz parte de um negócio imobiliário, o meio de desenvolver este patrimônio depende especificamente da capacidade e conexões do gestor destes bens. Grandes gestores enxergam grandes potenciais e formas de desenvolver negócios imobiliários atrelados a outros negócios escaláveis.


1) A cidade em linha: Neom será a cidade inaugurada pela Arábia Saudita na província de Tabuk, n


o valor aproximadamente de 500 bilhões de dólares e que segue um plano inovador. A cidade, também conhecida como The Line, será construída em linha reta por 170 km de comprimento, idealizada em 4 princípios: 1. Sem carros e estradas como parte do espaço público 2. Ao redor da natureza 3. Sustentabilidade 4. infraestruturas inteligente e escondida Diferente da linha axial da proposta que foi feita em Brasília, o crescimento dos entornos de Neom serão programados de forma a impedir cidades satélites de surgirem ao seu redor, criando diversos núcleos habitacionais em


sua extensão. O programa com diversas fases de construção, estará com seu primeiro núcleo pronto em 2025 com a promessa de uma ligação entre ilhas do Egito e da Arábia Saudita. A cidade promete muito mais, para atrair investidores internacionais, até mesmo as leis do país estão sendo revistas para se adequarem à liberdade que o século XXI trouxe. Por fim, Neom representa um esforço de países da península arábica em expandir mercados regionais para novas áreas, mas também traz a reflexão: quais são os sacrifícios para se construir uma cidade inteligente e para quem ela está sendo construída?


2) A Cidade arranha céu:


Com 140 mil habitantes apenas, Balneário Camboriú detém um recorde: ela possui 2 dos 10 prédios mais altos da América Latina, e 5 dos 10 mais altos do Brasil. Isto ocorre, pois, seu plano diretor não possui restrição para altura dos prédios, apenas para índices de ocupação máxima do terreno. Contudo, este recorde incrível possui efeitos colaterais. A Praia Central, uma das 9 praias da cidade, é a de maior relevância e é justamente a que enfrenta um desafio. Atualmente, banhistas que queiram sol e praia se amontoam em pequenos fachos de luz à beira dela no período da tarde.

Além de um plano para ampliar a faixa de areia, estudos projetam que a cidade pode sofrer falta de água ainda até 2025, com maior demanda do que disponibilidade hídrica vinda do rio Camboriú, avanços na infraestrutura de Balneário devem ser discutidos, e muitos já foram implantados, como uma nova rede de esgoto, o novo Mole da Barra Sul e o da Barra Norte, a passarela da Barra, criando conexão entre bairros históricos do município. Por fim, com uma equipe de profissionais planejando a cidade, para todos os problemas encontra-se uma solução, sejam eles voltados a areia, água ou luz, capacitando Balneário Camboriú a manter o título de Dubai Brasileira e continuar sendo um grande destino turístico.


3) Cidades Sustentáveis:


Construir cidades sustentáveis implica em um planejamento que tem como premissa não somente o viés estrutural e financeiro, mas, também, em práticas que tem como principal premissa o cuidado com o meio ambiente. Essa evolução resulta em opções criativas para diminuir as emissões de carbono, a degradação dos ecossistemas e a poluição da água, ar e solo.


Lembrando que a sustentabilidade é um propósito para todos nós, uma vez que hábitos como o consumismo estão levando recursos naturais ao esgotamento, além de destruir espécies da flora e fauna e provocar uma crise climática.


Dentro desse cenário, algumas cidades em nosso país e no mundo todo se destacam como principais exemplos de sustentabilidade quando se fala em sociedade e construção civil. Freiburg, na Alemanha, por exemplo, o aquecimento das casas era uma das atividades que mais consumia recursos. Para cada moradia, eram gastos cerca de seis mil litros de combustível.


Para solucionar isso, a decisão foi investir em construções isoladas com espuma, vidros três vezes mais grossos e seladas externamente. O ar fresco entra no nível do teto e é aspirado através de um funil a fim de que o calor do ar quente que sai seja transferido para o ar frio que entra.


1 visualização0 comentário