O papel e a importância dos galpões logísticos nos dias de hoje

Atualizado: 9 de Dez de 2021



Galpões, cujo conjunto faz parte de um centro de distribuição (CDs), são parte da logística dentro de uma "Supply Chain." E em 2020, o ano da pandemia, algo não inusitado aconteceu, a vacância geral de galpões no Brasil caiu de 18,47% para 14,30%, resultado do aumento do e-commerce, mercado de veículos e autopeças.



Falando em e-commerce, as gerações X (1965-84), Y (85-99) e Z (00-hoje) compõe 57% da população, levando em conta que cada geração se torna mais virtual, temos uma alavancagem de 400% na abertura de lojas virtuais desde o início da quarentena, junto

com um aumento de 387% em compras on-line.


No último post, detalhou-se a expansão do mercado logístico não apenas no Brasil, mas

no mundo. Entendendo-se que há mais lojas virtuais, compras online e o avanço do sistema drop shipping no mercado, surge uma demanda maior por mais galpões, mas você sabe o que é um?



Primeiro, é necessário se situar. O mercado de galpões é imenso, possui uma gestão complexa, é uma das áreas mais bem desenvolvidas no país e possui players sofisticados, como a B2W, que engloba a logística das empresas Americanas, Submarino e Shoptime. Falando em logística, galpões são divididos em duas áreas, modulares (para produtos não perecíveis) e refrigerados (para carnes, frutas, e demais perecíveis). Uma série de galpões de um tipo constituem os CDs (Centros de Distribuição) que podem ser refrigerados, ou não.


Por fim, apenas diferenciar um galpão de outro ainda abre espaço para dúvidas. Quando se avalia um galpão, pense sempre nestes pontos: quais os bens de consumo da região, itens técnicos de engenharia e a localização do mesmo, pois esta é um fator chave para sua valorização.


Em 30 de Setembro de 2020, Mato Grosso registrou uma temperatura de 44°, uma das mais altas já registradas no Brasil nos últimos 100 anos. Temperaturas altas, clima úmido e uma abundante flora de fungos e microrganismos são alguns dos fatores chave para a existência dos galpões refrigerados e os CDs refrigerados que fazem parte das chamadas cadeias frias. Galpões refrigerados são voltados ao mercado de perecíveis, isto é, frutas, carnes e até medicamentos, e seu principal objetivo é manter uma temperatura específica (que pode variar em até 4 níveis de refrigeração) durante a armazenagem.



Diferentes dos galpões modulares, os refrigerados são construídos inseridos em uma cadeia logística específica, ou seja, são built-to-suit, tudo isto para diminuir as perdas de

até 40% de alimentos perecíveis na cadeia logística.


Falando em built-to-suit, um exemplo é o Cross Docking, um tipo de galpão refrigerado construído para receber diversos perecíveis (como um caminhão de maçãs e outro de laranjas). O mercado da rede fria é amplo e extremamente interligado entre operadores e transportadoras, visto ser um negócio mais específico e controlado. Contudo, há espaço para crescimento e desenvolvimento, principalmente com a expansão do transporte ferroviário e fluvial no Brasil.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo