top of page
  • Foto do escritorVitor Bertuzzi

Alavancagem financeira: até onde a dívida é uma solução viável?

Fazer dívidas para financiar o crescimento pode ser saudável para uma empresa quando realizado de forma estratégica e sustentável.


Aqui estão algumas situações em que fazer dívidas pode ser benéfico e os indicadores a serem acompanhados para garantir que a alavancagem financeira seja gerenciada de maneira responsável:


Quando fazer dívida é saudável:


Oportunidades de crescimento: se a empresa identificar oportunidades de investimento que promovam um crescimento sustentável, como expansão de mercado, lançamento de novos produtos ou investimentos em tecnologia, fazer dívidas pode ser uma forma eficaz de financiar essas iniciativas.


  • Taxas de juros favoráveis: em períodos de taxas de juros baixas, tomar empréstimos pode ser mais atrativo, pois o custo de financiamento é menor e pode proporcionar retornos mais altos sobre o investimento.


  • Fluxo de caixa positivo futuro: se a empresa espera um aumento consistente no fluxo de caixa futuro devido ao investimento planejado, a alavancagem financeira pode ser justificada, desde que haja confiança na capacidade de gerar receitas suficientes para cobrir os pagamentos de dívidas.


Indicadores para acompanhar a alavancagem financeira:


  • Razão Dívida/EBITDA: esta métrica compara o nível de endividamento da empresa com sua capacidade de gerar lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA). Uma razão elevada pode indicar uma carga de dívida excessiva.


  • Cobertura de juros: a relação entre o lucro operacional e os pagamentos de juros reflete a capacidade da empresa de pagar seus encargos financeiros. Uma cobertura baixa pode sinalizar problemas de liquidez e solvência.


  • Geração de caixa livre: monitorar a capacidade da empresa de gerar caixa livre após despesas de capital e pagamentos de juros é fundamental. Uma geração de caixa positiva indica que a empresa tem recursos para pagar dívidas e investir no crescimento futuro.


  • Razão de liquidez: avaliar a liquidez da empresa através de razões como a liquidez corrente (ativos circulantes / passivos circulantes) ajuda a garantir que a empresa tenha recursos suficientes para cobrir suas obrigações de curto prazo, incluindo pagamentos de dívidas.


  • Margens de lucro e retorno sobre o investimento (ROI): acompanhar as margens de lucro e o retorno sobre o investimento ajuda a garantir que os projetos financiados por dívidas estejam gerando retornos suficientes para compensar o custo do financiamento.


Em suma, fazer dívidas para crescer pode ser uma estratégia viável, desde que seja sustentável e cuidadosamente monitorada por meio de indicadores financeiros-chave.

Uma análise cuidadosa da capacidade de pagamento de dívidas e dos potenciais retornos sobre o investimento é essencial para garantir que a alavancagem financeira seja benéfica para a empresa a longo prazo.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page